Bem Vindo ao site Poconé On Line o Portal Internacional do Pantanal. email luisfernando@poconeonline.com
Poconé - MT, 26 de Agosto de 2019, 06h18   |   Tempo: Mín. ºC | Máx. ºC
Facebook WhatsApp
(65) 9998-1070

55 OUROS Brasil bate recorde de medalhas e fecha Pan em 2º após 56 anos

258 visualizações

Jonne Roriz/COB 

A delegação brasileira enviada para competir nos Jogos Pan-Americanos deixa a cidade de Lima com a melhor participação da história na competição continental. Com 55 ouros, 45 pratas e 71 bronzes, o Brasil superou o número de medalhas conquistadas nos Jogos do Rio de Janeiro e voltou a figurar na segunda colocação geral do quadro de medalhas após 56 anos. 

A última vez em que o Brasil terminou o Pan-Americano atrás apenas dos Estados Unidos foi nos Jogos de São Paulo, disputados em 1963. Na ocasião, a delegação nacional somou 52 medalhas, sendo 14 de ouro, 20 de prata e 18 de bronze. 

Até a competição em Lima, era também em território nacional, nos Jogos do Rio de Janeiro, que o Brasil havia acumulado o maior número de medalhas: 157, com 52 ouros. A quantidade de idas ao lugar mais alto do pódio foi superada pelo nadador Guilherme Costa nos 1.500 metros livres. Dos 486 atletas da delegação brasileira, 236 (48,5%) deixam a capital peruana com ao menos uma medalha no peito, sendo 133 homens e 103 mulheres.

Além dos resultados positivos, o Brasil volta para casa com nove vagas diretas conquistadas para as Olimpíadas do ano que vem. Garantiram a ida às competições em Tóquio o handebol feminino e as equipes de hipismo (adestramento, cross-country e saltos).

As vagas individuais foram garantidas pela pentatleta Maria Iêda Guimarães, pelo tenista João Menezes e pelo mesatenista Hugo Calderano. Também estão confirmados na capital japonesa dois velejadores da classe 49er e um brasileiro do tiro com arco.

O retorno ao segundo lugar do quadro de medalhas e a obtenção do maior número possível de vagas para as Olimpíadas de Tóquio eram duas das metas do COB (Comitê Olímpico Brasileiro) para os Jogos Pan-Americanos.

“Consideramos que os objetivos foram alcançados. O sarrafo para os Jogos de Santiago 2023 subiu”, afirmou o chefe de missão do Brasil na Lima 2019.

“Nosso objetivo foi consolidado para manter o Brasil em uma posição de destaque nas Américas”, observou o subchefe de missão do Brasil, Jorge Bichara. Ele ainda destaca que os comandantes do esporte brasileiro chegaram a Lima em busca de melhores resultados no atletismo, na natação e na vela. 

De acordo com Bichara, a meta específica também foi atingida com as 30 medalhas conquistadas pelos nadadores, as nove obtidas pelos velejadores e os 16 lugares no pódio conquistadas pelos esportistas do atletismo.