Bem Vindo ao site Poconé On Line o Portal Internacional do Pantanal. email luisfernando@poconeonline.com
Poconé - MT, 19 de Maio de 2019, 13h32   |   Tempo: Mín. ºC | Máx. ºC
Facebook WhatsApp
(65) 9998-1070

Bolsonaro vem a Mato Grosso em junho para evento em comemoração ao Dia do Meio Ambiente

27 visualizações

Wesley Santiago

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) estará em Mato Grosso no próximo dia 05 de junho para participar do projeto ‘Juntos Pelo Araguaia’. O evento contará com a presença dos governadores de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM) e de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM). A confirmação foi feita em reunião nesta terça-feira (14), realizada em Brasília (DF).

Leia mais:
Governo Bolsonaro condiciona liberação do FEX à aprovação da Reforma da Previdência, diz Mauro Mendes
 
O evento será em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente e foi idealizado pelo Governo de Goiás. A intenção é revitalizar a Bacia Hidrográfica do Rio Araguaia, por meio de convênio com os governos Federal e de Mato Grosso.
 
A confirmação da presença foi feita pelo próprio Jair Bolsonaro, durante reunião com o governador Ronaldo Caiado e o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, no Palácio do Planalto. O evento acontece na ponte que liga as cidades de Barra do Garças (520 quilômetros de Cuiabá) e Aragarças (GO).
 
O governador Mauro Mendes também confirmou presença no evento. Vale lembrar que o chefe do Executivo mato-grossense tem feito diversas viagens à Brasília. Na pauta, está a busca pelos recursos do Fundo de Auxílio à Exportação (FEX) de 2018 que ainda não foi pago ao Estado, cuja a quantia chega a quase R$ 500 milhões.
 
Por enquanto, as notícias não são tão boas. De acordo com o chefe do Executivo mato-grossense, não há estimativa de repasse deste, nem de outros recursos, pois o Governo Federal tem condicionado todas as agendas à aprovação da Reforma da Previdência, em discussão no Congresso. E apesar da necessidade da verba, o democrata disse concordar com a manobra bolsonarista.
 
Acompanhado por sua equipe econômica, Mendes também participou de discussões para regulamentar a Lei Kandir. A não regulamentação da lei, que desonera o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dos produtos primários destinados à exportação, já implicou em uma renúncia superior a R$ 50 bilhões ao Estado de Mato Grosso. (Com informações do O Popular)