Bem Vindo ao site Poconé On Line o Portal Internacional do Pantanal. email luisfernando@poconeonline.com
Poconé - MT, 15 de Dezembro de 2018, 21h09   |   Tempo: Mín. ºC | Máx. ºC
Facebook WhatsApp
(65) 9998-1070

Em pronunciamento, Temer diz que deixará a casa em ordem

35 visualizações

Presidente diz que transição está sendo civilizada e que a equipe do sucessor tem acesso a todos os dados do governo

 
 
15 NOV2018
 
20h50
atualizado às 21h09
  • separator
  • 26
  • COMENTÁRIOS

O presidente Michel Temer classificou a transição para o governo de Jair Bolsonaro como "das mais civilizadas e cordiais", disse que abriu todas as informações do governo à equipe do presidente eleito e afirmou que o novo time vai encontrar as finanças públicas em ordem. As declarações do emedebista foram transmitidas ontem em rede nacional de rádio e televisão, durante pronunciamento para marcar a passagem da Proclamação da República.

"Abri todas as informações à equipe do presidente eleito, para que possam tomar ciência da real situação do governo em todos os campos", declarou Temer. O presidente disse ainda que a inflação está sob controle, que as exportações vêm crescendo e que agricultura está batendo recordes de produção. "Enfim, é um Brasil completamente diferente daquele que recebi", afirmou, referindo-se à antecessora Dilma Rousseff, cassada pelo Congresso.

O presidente Michel Temer faz seu último pronunciamento de rádio, TV e redes sociais para o feriado da Proclamaçãoo da República 
 
O presidente Michel Temer faz seu último pronunciamento de rádio, TV e redes sociais para o feriado da Proclamaçãoo da República
Foto: Reprodução/Presidencia da Republica / Estadão Conteúdo

Crise. No pronunciamento de pouco mais de três minutos e meio, o emedebista também afirmou que assumiu o governo durante a "mais grave crise econômica da nossa história" e que ainda pretende "trabalhar todos os dias para deixar a casa em ordem". Temer disse desejar que na gestão que se inicia em 1.º de janeiro de 2019 o Brasil "cresça e avance ainda mais do que no período em que estive à frente da administração federal". O emedebista afirmou ainda que um eventual sucesso de Bolsonaro à frente do governo federal significaria sucesso de todo o País. "A hora da divisão já passou", concluiu.

O presidente também comemorou os 129 anos da República, que definiu como alternância de governos de tempos em tempos. "É a temporariedade de mandatos. A cada quatro anos, o povo é consultado sobre os destinos do País".