Bem Vindo ao site Poconé On Line o Portal Internacional do Pantanal. email luisfernando@poconeonline.com
Poconé - MT, 18 de Outubro de 2018, 17h25   |   Tempo: Mín. ºC | Máx. ºC
Facebook WhatsApp
(65) 9998-1070

Mais de 5 carros e motos são roubados ou furtados por dia na Capital

61 visualizações

Reinaldo Fernandes

 

Mais de cinco carros são roubados ou furtados por dia em Cuiabá (5,8). É o que mostra balanço do primeiro trimestre deste ano. A Polícia Judiciária Civil (PJC) registrou 496 casos de 1° de janeiro e 31 de março. A quantidade mínima de roubo e furto de veículos no período foi de 146, registrada em fevereiro. Em janeiro, houve 179 e março, 171. A soma desses números representa alta de 4,6% em relação ao primeiro trimestre do ano passado.  

Mário Okamura

Balanço PJC

 

Reprodução

HB-20

HB-20 é um dos carros preferidos dos ladrões

Carros Gol, Uno e HB-20 e motos populares, principalmente CG, continuam sendo os alvos principais dos ataques dos bandidos. O delegado Vitor Hugo, da Repressão a Roubo e Furto de Veículos (DERRFVA) de Cuiabá, diz que os veículos são roubados ou furtados principalmente para fomentar mercados de desmanche, envio para a Bolívia e Paraguai em troca por drogas e para venda no mercado interno de Mato Grosso. 

De janeiro a março do ano passado, foram roubados ou furtados 474 veículos em Cuiabá. Março foi o mês com mais caso, 172, seguidos por fevereiro (157) e janeiro (145). Neste ano, houve leva alta de 4,2%. 

“Mato Grosso está em área de fronteira com a Bolívia, que produz cocaína, e o Paraguai, que produz maconha. Parte dos veículos roubados aqui é levada para esses países como mercadoria em troca por drogas. Já houve caso de carro em Mato Grosso chegar à Bolívia três horas depois do roubo. Essa facilidade de atravessar fronteira acaba incitando a criminalidade”. 

O mercado de desmanche é outro nicho para o roubo/furto de veículos no Estado. O delegado Vitor Hugo diz ser comum veículos serem tomados já com a intenção de desmonte para a venda de rodas, motor e outros equipamentos que tenha valor no mercado negro e que seja de fácil circulação. 

Gilberto Leite

Delegado Victor Hugo

Delegado Vitor Hugo avisa que ladrões buscam surpreender quando acham mais propício

Além desses dois mercados, a oferta de veículos roubados/furtado por preço às vezes pela metade do mercado também fomenta a criminalidade. E o delegado afirma não ser raro esse tipo de ocorrência. 

“Vou te citar um exemplo de carro que vale R$ 70 mil no mercado e os bandidos vendem por R$ 40 mil. Adulteram o chassi, falsificam documentos e repassam o veículo. Não é raro encontrar veículos adulterados em blitz da polícia, com documentação e tudo mais falsificados”, explica. 

Os ataques à mão armada, com coerção do motorista ou piloto, continuam o tipo mais comum de ação dos bandidos. Balanço do primeiro trimestre da PJC registra 272 roubos de carros e 104 furtos. Nos casos de motocicletas, há inversão de tipos de ataques. No mesmo período houve 89 furtos e 30 roubos em Cuiabá. 

Motoristas são, na maioria das vezes, surpreendidos em momentos que estão entrando ou saindo do veículo

Elemento da surpresa 

O delegado Vitor Hugo afirma que a intenção dos ladrões de veículos não é entrar em conflito com motoristas. Eles buscam sempre surpreender os proprietários, em momentos que acham propício para o ataque. 

“Os motoristas são, na maioria das vezes, surpreendidos em momentos que estão entrando ou saindo do veículo, que estão entrando na garagem. Quando estão parados, esperando alguém, ouvindo música ou mexendo no celular dentro do carro. As situações em que os bandidos podem surpreender. Eles não querem o confronto, querem tomar o carro e ir embora”. 

O delegado afirma que as situações visadas independem de horário ao longo dia para o ataque, apesar de lugares ermos e horas de baixa circulação de pessoas favorecem os ataques.

“O que pedimos para as pessoas é para ter atenção, evitar ficar muito distraído quando estiver saindo ou entrando na garagem, ou esperando alguém. Evitem também lugares ermos, que facilitam a ação dos bandidos. Temos registrado de roubo veículos durante o dia ou à noite. Eles não respeitam isso, se verem a oportunidade, vão agir”. 

Casos 

Em 21 de março, um Prisma foi roubado logo no início da manhã no bairro Nova Várzea Grande, em frente a uma empresa. Imagem do circuito de segurança mostra dois homens rendendo uma mulher e em seguida entram no carro e fogem.

roubo aconteceu em menos de dois minutos, por volta das 7h40. Um suspeito se aproxima do veículo para checar se alguém está dentro, volta pelo caminho que veio. Menos de um minuto mais tarde ele retorna acompanhado de um homem armado. Nesse intervalo, a motorista sai da empresa e entra no veículo.

Em 29 de março, um tenente do Batalhão Ambiental foi baleado ao reagir a assaltantes no bairro Jardim Primavera. Ele estava estacionado aos fundos da Arena Food Park, por volta das 20h50, aguardando sua mulher, quando dois homens se aproximaram e anunciaram o assalto. O tenente reagiu e atirou nos suspeitos, que revidaram e acertar o policial de raspão nas costas. Ele estava em um Fox.

Recuperação 

De janeiro a março deste ano, a polícia recuperou 331 veículos roubados/furtados em Cuiabá. Foram recuperados 106 em janeiro, 97 em fevereiro e 128 em março. Os veículos não são necessariamente de casos ocorridos neste ano. As recuperações feitas no primeiro trimestres estão um pouco abaixo das 370 registradas no mesmo período de 2017 – 122 em janeiro, 103 em fevereiro e 145 em março. 

A alta de 4,2% em roubo ou furto de veículos neste ano não representa alerta, visto que de 2016 para 2017 houve queda de 22% de casos e, ao mesmo tempo, o número de veículos recuperados tem crescido. 

“Não é um número que nos assusta porque é relativamente pequeno, nem podemos considerar como um aumento. Se houvesse aumento de cem carros, por exemplo, já teríamos que fazer uma ação especial. Até a polícia está atuando, a recuperação teve crescimento no período também”, diz o delegado Vitor Hugo.