O rio Araguaia recebeu no sábado (10 de agosto) uma expedição de caiaques com a missão de plantar buritis, ingás e jatobás às margens que cercam as águas. Muita energia, união e aventura guiaram o grupo de cerca de 150 pessoas por quase 7 horas com o intuito de chamar a atenção para a necessidade do resgate ambiental daquela região. Ao todo foram plantadas 250 mudas. A concentração para a descida do rio ocorreu no clube náutico da cidade e ônibus e carros levaram todos até à nascente do Córrego do Sapinho, afluente do Araguaia. A emoção do grupo, entretanto, começou antes mesmo de chegar na partida dos caiaques. Como a estrada a ser percorrida era de areia fofa, o ônibus atolou deixando todos à pé. Mesmo assim, a alegria do grupo tornou o empecilho um motivo de piada e alegria. Já no rio, a travessia foi realizada por homens, mulheres e crianças, com muita segurança e amparada por agentes do corpo de bombeiros.

À frente da ação estava a juíza-coordenadora da Justiça Comunitária de Alto Araguaia,  Marina França, que explica a plantação como integrante do programa Araguaia Cidadão, com início nesta terça-feira (13 de agosto). Segundo ela, é necessário chamar a atenção para a necessidade de preservação do rio, que é o símbolo da região e tem extensão nacional, atravessando vários estados da federação.

“Pensamos em chamar a atenção para a necessidade de preservação do meio ambiente para as gerações presentes e futuras. Estamos descendo com mudas e vamos fazer plantio na margem para incentivar o reflorestamento desta mata ciliar que está um pouco degradada. Além disso, também é uma forma de fazer um turismo contemplativo, mostrando a todos a importância de ter o espaço o máximo possível preservado.” Marina destaca ainda que é importante que os cidadãos tenham em mente que o Poder Judiciário de Mato Grosso trabalha muito além de apenas julgar processos. “Temos a missão de conscientizar, levar cidadania e conhecimento para as pessoas, somente assim teremos uma sociedade justa, igualitária e solidária.”

Toda a travessia tinha 26 quilômetros de lado a lado estreito, mas de águas profundas.  As mudas foram plantadas em quatro praias: Vereda, Cotovelo, Anta e Conca. Ainda durante a descida do rio foram jogados cocos de buritis, já hidratados, nas margens aonde não tinham praias para propiciar a germinação e talvez o crescimento natural de árvores.

Segundo o organizador do passeio e membro do Rotary Clube, parceiro no evento, Dimas Gomes Neto, ações como essa, promovida pelo Judiciário, vão trazer melhorias para a população que vive nos arredores do rio. Ele pontua ainda que em algumas partes da margem percebe-se a conservação da natureza por meio das espécies que já foram plantadas, mesmo assim, há poucas árvores nativas.

 “Precisamos aumentar a quantidade de árvores próprias a região como o buriti, a sanga d’água e o jatobá, que realmente é necessário. Estas são espécies que podem ficar bem próximas ao leito do rio, pois aguentam a pressão da água. Nós mesmos é que seremos os beneficiados dessa ação. Hoje, estamos cuidando das margens do Araguaia para não termos assoreamento. Com essa ação também estamos cuidando de nossa fauna que aqui vive e precisa do jatobá e do ingá para comer. Então, todos somos beneficiados.”

Araguaia Cidadão – A expedição será realizada de 13 a 21 de agosto e percorrerá 1.500 km visitando os municípios de Alto Araguaia, Araguainha, Ponte Branca, Ribeirãozinho, Torixoréu e Pontal do Araguaia. Estima-se que na região morem aproximadamente 45 mil pessoas. Neste período, serão ofertados serviços voltados para o exercício do direito e cidadania.

A conscientização da preservação do meio ambiente continua nesta semana, quando o Juizado Volante Ambiental fará a distribuição de mudas pelos municípios visitados  pelo Araguaia Cidadão.

FONTE: Assessoria