Bem Vindo ao site Poconé On Line o Portal Internacional do Pantanal. email luisfernando@poconeonline.com
Poconé - MT, 20 de Agosto de 2019, 21h39   |   Tempo: Mín. ºC | Máx. ºC
Facebook WhatsApp
(65) 9998-1070

Além do processo seletivo para 2019/2020, câmara exige realização concurso público em 2020.

Prefeitura só contrata servidor temporário se passar por processo seletivo

2260 visualizações
Por: Rildiam Lopes
Vereadores alertam que O ATRASO FOI DE RESPONSABILIDADE DO EXECUTIVO

Agora é lei: para entrar na prefeitura como servidor público temporário somente através de concurso.

Foram aprovados pelos vereadores de Poconé na manhã desta quarta-feira (16/01/19) quatro projetos independentes autorizando concurso público para vagas temporárias à servidores na Secretaria de Saúde, Secretaria de Assistência Social, Secretaria de Educação e Secretaria de Infraestrutura. (Sãos as leis: 31/32/33/34 de 2018)

Vagas de Médicos, professores, vigias, operadores de máquinas e serviços gerais estão entre os inclusos.

No ano passado a secretária municipal de Saúde, Ilma Regina de Figueiredo, a secretária municipal de Educação, Ornella Rosário Proença Moraes Falcão; a secretária municipal de Assistência Social, Emprego e Renda, Joelma Gomes da Silva; e o secretário municipal de Infraestrutura, Ney Rondon Marques, foram multados por utilizar profissionais previstos no lotacionograma sem realização de concurso público ou processo seletivo simplificado.

Após inúmeras cobranças por parte dos vereadores de Poconé, o prefeito Tatá Amaral encaminhou os projetos na terça-feira (18/12/18), ultimo dia de sessão da Câmara. No projeto o prefeito pediu autorização da Câmara para realizar novos contratos em 2019, até realização do concurso, o que foi negado pelos vereadores, por entenderem que seria crime. Para tanto qualquer contratação só poderá ser feita após o processo seletivo.

“Passamos dois anos orientando o executivo sobre a forma correta de contratação, precisou ser multada pelo Tribunal de Contas em 2018, para a prefeitura se posicionar; bastou 13 dias no legislativo para os vereadores, analisar, julgar e votar os projetos, a morosidade e demora não é na Câmara. Agora estará nas mãos da prefeitura e celeridade para o processo seletivo, algo que poderia estar pronto ano passado, mas não foi prioridade do executivo”, ponderou o vereador Walney Rosa do partido verde.

Agora a população deve ficar atenta ao chamamento público para o processo seletivo e suas respectivas inscrições.