Bem Vindo ao site Poconé On Line o Portal Internacional do Pantanal. email luisfernando@poconeonline.com
Poconé - MT, 17 de Julho de 2018, 19h00   |   Tempo: Mín. ºC | Máx. ºC
Facebook WhatsApp
(65) 9998-1070

A cada três dias trabalhado o preso tem um dia de redução de sua pena.

Presos do semiaberto fazem limpeza em ruas e áreas de Poconé

3652 visualizações
Por: Assessoria
Fonte: Revista 4º Poder
Detentos da Cadeia de Poconé realizarão atividades que envolvem capinação de ruas, corte de mato, recolhimento de lixo.
Diretor e Agentes Prisionais da Cadeia de Poconé supervisionando trabalho dos detentos.
Diretor e Agentes Prisionais da Cadeia de Poconé supervisionando trabalho dos detentos.

Em Poconé, município pantaneiro distante 100 quilômetros ao sul de Cuiabá, um grupo de 15 internos do regime semiaberto, custodiados pela Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) de Mato Grosso, realiza desde esta segunda-feira (11), a limpeza de espaços públicos da cidade.

Os detentos têm entre 20 e 50 anos e cumprem penas em sua maioria, por pequenos crimes.

A iniciativa marca a primeira ação do projeto idealizado pelo novo diretor da Cadeia Pública de Poconé, Silvio Roberto Alves, resultante de uma avaliação minuciosa dos últimos acontecimentos, da realidade local e a vivencia dos custodiados.

O serviço de limpeza urbana começou no canteiro do km 01 da Rodovia Zelito Dorileo (Transpantaneira), em frente a Cadeia Pública. As atividades envolvem a capinação da rua e canteiro, corte de mato, recolhimento de lixo, entre outras.

Outros pontos serão observados pelo diretor da Cadeia, onde possivelmente será realizada manutenção. Os internos trabalharão desenvolvendo serviços como roçagem, limpeza dos canteiros, plantio de mudas, paisagismo, poda de arbustos e adubação. Todo o trabalho é acompanhado por agentes prisionais e se necessário policia militar ou civil.

Para o Diretor; "O objetivo é sermos parceiros da Prefeitura Municipal e implantar jardinagem em toda extenção do canteiro, passando em frente da sede do projeto Sonho Meu (mantido pela prefeitura)", afirma.

Para continuidade do projeto, após a limpeza, precisa-se de doação de mudas e de terra preta.

Esse projeto contribui não somente para a reinserção social, mas também para a questão da valorização dos logradouros públicos e praças, onde nós temos homens trabalhando na roçagem e quando oportuno no paisagismo. Isso é fantástico. Reduz a pena e eleva a autoestima do detento, proporcionando também esperança para eles e suas famílias", destaca o Diretor Silvio.

As pessoas que passam pelo local ficaram surpresas, vendo os detentos todos uniformizados na cor amarela, trabalhando e sendo observados por agentes de segurança publica.

“Fiquei surpresa, nunca tinha visto isso. Esse projeto realiza um serviço extremamente importante para a sociedade. Se haver parceiros para realizar manutenção das praças e jardins da cidade será muito bom. Acredito que o objetivo é sobretudo despertar na nossa população o sentimento de apego pelo patrimônio público, afinal devemos ser parceiros de iniciativas como essa”, defendeu uma moradora, vizinha da Cadeia Pública.

Já o vereador Walney Rosa (PV) que esteve visitando a Cadeia e conhecendo o projeto opinou: “Para os que estão hoje passando por este ciclo de vida na prisão é uma oportunidade que se abre para remir a pena e reduzir o tempo de prisão. A sociedade vê o preso fazendo aquilo que ela mais quer que ele faça, que é trabalhar, e não ficar somente dentro do cárcere passando o tempo. Quando o preso vai trabalhar, ele está dando um retorno para a sociedade. Esse retorno é importante para ele próprio, pois serve como uma forma de reinserção na sociedade por meio do trabalho”, finaliza o vereador.

 

A cada três dias trabalhado o preso tem um dia de redução de sua pena.

Outro projeto a ser desenvolvido pela nova direção da Cadeia é o de cultivar legumes, verduras e hortaliças para consumo e troca através da implantação de uma horta orgânica na Unidade Prisional.

A ideia é incentivar não só o cultivo de produtos livres de agrotóxicos, mas também a vontade de trabalhar e se dedicar a atividades que ajudam na recuperação.

Para dar início ao projeto, Silvio pretende buscar parceria com a EMPAER e o Sindicato Rural e dos Trabalhadores Rurais, bem como Secretaria Municipal de Agricultura.

Outros projetos para a Cadeia de Poconé é a implantação de uma sala de aula de reforço para os detentos, que servirá de sala de leitura, com distribuição e trocas de livros, começando pela Bíblia Sagrada.

 

Silvio Roberto Alves

Servidor público a 17 anos (servidor de carreira na função de agente penitenciário).

Assumiu a Direção da Cadeia Pública de Poconé, por determinação do Secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) Fausto Freitas.

Silvio veio da administração do Centro de Ressocialização de Cuiabá, antigo Carumbé, onde ocupou a função de diretor Adjunto, por 3 anos. Antes disso trabalhou com crianças e adolescentes no Centro Socioeducativo Pomeri.

Adepto da disciplina e organização, reflexo dos sete anos que serviu o Exercito Brasileiro como Cabo de Engenharia.

 

Para Janeiro de 2018:

Em janeiro, após a avaliação final de todo o complexo da Cadeia de Poconé e as possíveis ações externas e internas o Diretor do Presídio pretende se reunir com autoridades e entidades organizadas e apresentar planos de trabalho e buscar parceiros. Isso não impede das autoridades locais irem conhecer o projeto de perto ainda este ano.

 

Maiores esclarecimentos e colaboradores:

Aqueles que queiram ser parceiros podem procurar a direção do Presídio que serão atendidos pelo Senhor Silvio Roberto ou mesmo pelo telefone (65) 9.8406-1831.

De imediato o projeto precisa de doação de enxadas, limas, rastelos, carrinho de mão, etc.